Calcular Seguro Desemprego

O seguro desemprego é um benefício que todo trabalhador que foi demitido por justa causa tem a receber. Sendo assim, é indispensável que o empregado conheça sobre esse direito e tenha acesso a todas as informações necessárias. Quando acontece de o funcionário ser demitido, a primeira atitude que o empregador deve fazer é orientá-lo a preencher o formulário corretamente, solicitando o seguro desemprego.

Calcular Seguro Desemprego

E quando o assunto é relativo ao cálculo do seguro desemprego, você sabe como proceder? Muitos empregadores têm dúvida sobre isso, sendo assim, faz-se necessário uma explicação mais detalhada do assunto.

publicidade:

Como calcular seguro desemprego 2017

Quando o empregador demite algum funcionário, é necessário fazer um cálculo seguro desemprego que é bastante simples. Todas as contas são baseadas em princípios que regem o Ministério do trabalho.

O cálculo seguro desemprego é realizado com base nos últimos 3 meses que antecedem a demissão e também relativo ao valor que está registrado na carteira de trabalho.

publicidade:

Para se ter uma média do seguro desemprego, os valores que se referem aos últimos três meses de trabalho devem ser multiplicados e depois divididos por 3. O salário descrito no documento é o que vai entrar nessa conta. Veja um exemplo:

Salário

R$778,00 até R$ 1.152,00: a multiplicação de 0.8 é baseada no salário médio

R$ 1.152 até R$ 1.918,00: se passar do primeiro valor deve ser feita a multiplicação por 0.5 e somado à R$ 980,00.

Valor ultrapassando R$ 1.980,00: nesse caso, independentemente de contas, a parcela fica no valor fixo de R$ 1.304,00.

Sobre a Tabela

Essa é a tabela que o Ministério do trabalho disponibiliza aos empregadores para fazer o cálculo exato do seguro desemprego. É importante conhecê-la para que os valores acertados estejam de acordo com as diretrizes do órgão responsável pelos direitos dos trabalhadores.

E em relação à quantidade de parcelas do seguro desemprego? Bom, este ano (2017) ocorreram algumas mudanças que interferem justamente nessa questão. Para quem vai solicitar o benefício pela primeira vez, só terá direito de tiver trabalhado com carteira assinada no mínimo de 1 ano. As parcelas, nesse caso, são de apenas 4 meses. Já para quem aciona o serviço pela segunda vez, é necessário comprovar o período de trabalho que pode ser de 1 até 2 anos. E essa variação é quem vai definir a quantidade de parcelas.

Por exemplo: 3 parcelas correspondem à 9 meses de trabalho. Já se forem em 4, é preciso ter 2 anos de carteira assinada.

Para os demais casos, praticamente não houve alteração. Ou seja, além de saber fazer o cálculo seguro desemprego, o empregador precisa estar por dentro das novas regras que dizem respeito também às parcelas do benefício.

É natural que algumas situações fujam desse padrão determinado. Nesse caso, o que fazer? Se o trabalhador tiver recebido apenas um mês do mesmo vínculo empregatício e não três, o mais correto é que o cálculo do seguro desemprego seja baseado nesse último período efetivamente. Ou seja, o valor a ser recebido será proporcional ao mês completo trabalhado, período que antecederá a demissão. Já para quem recebe por quinzena ou por hora, como é o caso da classe de professores, o cálculo do seguro desemprego é de acordo com o valor integral do mês.

Fazer os cálculos seguro desemprego é algo simples e rápido. Basta consultar a tabela do Ministério do trabalho.

Deixe um comentário!

publicidade: